Capa » Assembleia Legislativa » AUDIÊNCIA PÚBLICA PRESIDIDA PELO DEPUTADO ARANTES ABRE ESPAÇO NA ALMG PARA PREFEITOS COBRAREM CALOTE DE QUASE 5 BILHÕES DE PIMENTEL
AUDIÊNCIA PÚBLICA PRESIDIDA PELO DEPUTADO ARANTES ABRE ESPAÇO NA ALMG PARA PREFEITOS COBRAREM CALOTE DE QUASE 5 BILHÕES DE PIMENTEL

AUDIÊNCIA PÚBLICA PRESIDIDA PELO DEPUTADO ARANTES ABRE ESPAÇO NA ALMG PARA PREFEITOS COBRAREM CALOTE DE QUASE 5 BILHÕES DE PIMENTEL

Atendendo a um pedido da AMM e da Associação dos Vereadores do Sul de Minas, a Comissão de Agropecuária e Agroindústria, presidida pelo deputado Antonio Carlos Arantes (PSDB), recebeu na quinta-feira, (22/03/18), cerca de 5prefeitos, 100 vereadores várias autoridades que vieram denunciar calote que o governador Pimentel está dando nos municípios. Por unanimidade, eles pediram intervenção federal no Governo de Minas.

presidente da Associação Mineira dos Municípios (AMM), Julvam Lacerda, que é prefeito de Moema, agradeceu ao deputado Arantes pela iniciativa, que contou também com o apoio de outros deputados: “É a primeira vez que a Assembleia Legislativa recebe a gente, oficialmente, para falar desse problema. Isso nos dá ânimo para continuar na luta. Queremos pedir socorro aos deputados. Já tentamos negociar com Pimentel de todas as formas possíveis, mas ele não quer conversa. E não existe lugar melhor do que aqui para pressionar o governo”, afirmou.

O deputado Arantes justificou a reunião: “As dificuldades dos prefeitos impactam diretamente o produtor rural. É no transporte da safra, no corte de incentivos a programas rurais, no transporte de alunos e de doentes, então, isso também é problema dessa Comissão. É a agropecuária que mantém este País de pé, que mantém o Estado de pé e que gera renda e empregos para os mineiros. E o calote do governo do PT está atrapalhando tudo isso”, ressaltou.

Segundo o presidente Julvam Lacerda, o calote do Governo Pimentel envolve o confisco de R$ 4,7 bilhões, sendo 3,7 bilhões só com a Saúde. O Estado deve ainda R$ 728 milhões do IPVA de janeiro; R$ 200 milhões de ICMS, considerando os atrasos e as multas, e R$ 54 milhões de Assistência Social.

PREFEITOS COBRAM DINHEIRO DOS MUNICÍPIOS

Entre os prefeitos presentes estavam o de Guaxupé, Jarbinhas; o de São Sebastião do Paraíso, Walkinho; o de Jacuí, Geraldo Magela; de Piumhi, Deco do Estalo; de Andradas, Rodrigo Lopes; de Formiga, Eugênio Vilela; de Ilicínea, Edvaldo Belinelli; de Pimenta, Aílton Sapinho; de Bom Despacho, Fernando Cabral, e de Nepomuceno, Iza Menezes.

O prefeito Jarbinhas, de Guaxupé, cobrou os repasses: “Não estamos aqui antecipando campanha eleitoral, mas cobrando um direito que é do nosso município e que um governo incompetente não cumpre. E não aceitamos a proposta de vender a Codemig para pagar os municípios. É mais um crime contra o povo mineiro”, afirmou.

O prefeito Fernando Cabral, de Bom Despacho, lembrou que os fatos não mentem: “Essa omissão do governo está acabando com os municípios. Só para Bom Despacho, o governo deve R$ 7,2 milhões, quase 10% da nossa arrecadação”, ressaltou.

O prefeito Walkinho, de São Sebastião do Paraíso, fez questão de agradecer Arantes por ter aberto a Assembleia Legislativa para os prefeitos: “Sei que não foi fácil. Tentaram impedir a realização dessa audiência pública, mas graças à coragem de Arantes e de alguns deputados, estamos aqui”, destacou.

Representando a Associação dos Vereadores do Sul de Minas, o presidente Câmara de Varginha, Zacarias Piva, pediu intervenção federal no Governo de Minas e foi apoiado por unanimidade pelos prefeitos.

ARANTES E JULVAM VÃO AO MINISTÉRIO PÚBLICO

Logo após a audiência pública, uma comissão de prefeitos liderada pelo presidente da AMM e pelo deputado Arantes foram até o Ministério Público. A comissão foi recebida pelprocurador-geral de Justiça adjunto institucional, Rômulo de Carvalho Ferraz. O deputado Arantes entregou um documento ao procurador cobrando do Ministério Público uma posição diante das ações que estão na Justiça pedindo o repasse do dinheiro dos municípios: “Queremos uma posição. Se um prefeito não cumpre suas obrigações, ele é processado pelo Ministério Público. Queremos que o mesmo aconteça com o governador. Ele não está acima da lei”, afirmou Arantes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>