Capa » Assembleia Legislativa » DEPUTADO ARANTES REPUDIA DECISÃO DA DIRETORIA DA EMATER DE ANTECIPAR ANIVERSÁRIO DA EMPRESA COM FINS POLÍTICOS
DEPUTADO ARANTES REPUDIA DECISÃO DA DIRETORIA DA EMATER DE ANTECIPAR ANIVERSÁRIO DA EMPRESA COM FINS POLÍTICOS

DEPUTADO ARANTES REPUDIA DECISÃO DA DIRETORIA DA EMATER DE ANTECIPAR ANIVERSÁRIO DA EMPRESA COM FINS POLÍTICOS

O deputado Antonio Carlos Arantes (PSDB) vem a público manifestar a sua indignação com a decisão da diretoria da Emater de antecipar, em quase seis meses, as comemorações de 70 anos da empresa.

Fundada em 1948, tradicionalmente a Emater comemora seu aniversário no dia 6 dezembro, dia do Extensionista Rural. No entanto, uma convocação para as festividades está sendo enviada aos funcionários.

O evento, a ser realizado nos dias 28 e 29 de junho, pretende reunir 1.500 extensionistas rurais de todo o Estado num hotel de luxo, em Caetés, com pagamento de diárias e hospedagens para todos.

Para o deputado Arantes, essa antecipação é um absurdo: “O que o governo petista pretende fazer é um evento político visando as eleições deste ano. O que eles querem é trazer todos na marra a Belo Horizonte e fazer uma demonstração de força e de presença da empresa, provocando ao mesmo tempo a intimidação dos funcionários, que estão sem condições de trabalho. Eles querem mostrar uma Emater que não existe, que não tem técnicos suficientes, e que não consegue atender aos produtores por absoluta falta de recursos. Nem a diária dos técnicos que viajam a empresa está pagando. No entanto, querem gastar uma fortuna para fazer teatro, dando a impressão de que o governo Pimentel está trabalhando, ajudando o produtor rural. Isso é um insulto ao povo mineiro”, declarou Arantes.

Quem também não concorda com a antecipação é o Sindicato dos Trabalhadores em Assistência Técnica e Extensão Rural de Minas Gerais (Sinter-MG). A diretoria colegiada divulgou nota considerando a decisão “inadequada e inoportuna, considerando que a empresa trabalha com recursos escassos” e cobrou direitos trabalhistas que o governo não está pagando, como recomposição salarial, diárias, promoções horizontais, atualização do vale-alimentação, além da realização de concurso público para suprir a falta de pessoal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*