Capa » Assembleia Legislativa » Frustrada venda de 25 imóveis em Oliveira pelo Governo de Minas
Frustrada venda de 25 imóveis em Oliveira pelo Governo de Minas

Frustrada venda de 25 imóveis em Oliveira pelo Governo de Minas

Graças à intervenção dos deputados de oposição,

a E. E. Mário Campos e Silva não será mais vendida

Na voracidade irresponsável para levantar dinheiro de qualquer maneira e cobrir o rombo financeiro da sua má gestão, fruto do aumento de gastos pela criação de sete secretarias de Estados e vários cargos no alto escalão do Governo, o governador Fernando Pimentel, do PT, encaminhou para a Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) o Projeto de Lei 4.135/2017, que autoriza o governo a vender ou hipotecar mais de seis mil imóveis do Estado.

Dentre eles, 25 imóveis estão localizados no município de Oliveira. E o maior absurdo é que na lista estava a Escola Estadual Mário Campos e Silva, localizada na rua Osvaldo Cruz, nº 289. “Vejam o absurdo dessa medida. Vender uma escola centenária que atende a mais de mil alunos durante os três turnos, inclusive com o Ensino de Jovens e Adultos (EJA) à noite. O governador só pode estar brincando. Perdeu o juízo, o bom senso. Quando analisei a lista, fiquei chocado. Vi lá creches, asilos, delegacias. Mas no caso de Oliveira é uma insanidade. A escola é um patrimônio histórico da cidade, garantia de mais educação para a comunidade. É inadmissível se cogitar vender esse bem precioso”, afirmou indignado o deputado estadual Antonio Carlos Arantes (PSDB).

O PL 4.135/2017 do governador, além de ser um absurdo por si só, traz as informações de forma obscura com a intenção de dificultar a localização precisa dos imóveis que pretende vender ou hipotecar em cada município. Dentre a lista dos 25 imóveis de Oliveira, há fortes indícios de que o Governo tinha a proposta de vender a sede do IMA e da Cooperativa de Café, ambas localizadas no bairro Martins.

Diante do prejuízo incalculável para o município, o deputado Antonio Carlos foi o parlamentar que levantou a voz contra esse absurdo. A oposição ao Governo na ALMG, com a participação ativa do deputado Arantes, entrou com uma ação na Justiça e conseguiu suspender, por meio de uma liminar, a tramitação do Projeto de Lei do governador.

Após questionamentos por parte dos deputados de oposição, o governador alterou o projeto e reduziu de mais de seis mil imóveis para cerca de 200 que serão vendidos ou hipotecados. Além disso, retirou o PL 4.135/2017 de regime de urgência, ou seja, ele vai tramitar normalmente até ser aprovado ou não pela Assembleia Legislativa. Porém, o projeto tem, agora, mais transparência, pois divulga os endereços e dados dos imóveis.

Os 25 imóveis de Oliveira não estão incluídos nessa nova lista do Governo. “Graças nossa ação em favor do povo de Oliveira, a comunidade não será prejudicada com a perda da Escola Estadual Mário Campos e Silva e outros imóveis, o que seria um transtorno para todos os cidadãos”, concluiu Antonio Carlos.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*