Início » Campos Gerais » Vereadores de Campos Gerais denunciam aumento da violência na região

Vereadores de Campos Gerais denunciam aumento da violência na região

Deputado Arantes lamenta a situação do distrito de Córrego do Ouro, um dos mais atingidos

Vereadores de Campos Gerais (Sul de Minas) denunciaram, nesta quarta-feira (23/3/16), à Comissão de Segurança Pública da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), o aumento de violência no distrito de Córrego do Ouro. A principal causa seria a falta de policiamento. Vários vereadores relataram casos de assaltos que aconteceram recentemente com eles ou com pessoas próximas. A maioria, arrombamentos e assaltos à mão armada.

Para o deputado Antônio Carlos Arantes (PSDB) a situação é muito grave. “Campos Gerais é um município altamente desenvolvido, que gera renda e empregos e não recebe nada em troca do Governo do PT. E o distrito de Córrego do Ouro tem uma infraestrutura produtiva que é uma das maiores do país e ainda fatura com o turismo, porque fica nas margens do lago de Furnas”, lamentou Arantes.

Participaram da audiência pública os vereadores José Eugênio da Silva, presidente da Câmara Municipal, Maria Rocha, Aluísio Pereira, Maurílio Antônio Pereira, Djalma Pereira e Raquel Maria Pádua, além do vice-prefeito João Carlos Coelho.

A vereadora Maria Rocha relatou que “a vida era tranquila no distrito quando tinha um subdestacamento com três policiais que atuavam ali, mas eles sumiram de lá”. O vice-prefeito João Carlos Coelho contou que tem gente mudando do distrito por causa da violência. “O povo tá com medo. Tem arrombamento e assalto à mão armada por todo lado”, completou.

O deputado Dalmo Ribeiro Silva (PSDB), autor do requerimento que deu origem à reunião, salientou que o distrito tem a estrutura de uma cidade, mas sem nenhum policial”. O deputado Sargento Rodrigues (PDT) destacou que não só a Polícia Militar é responsável pela segurança pública e seria preciso trazer para a discussão outros agentes, como membros do Ministério Público e da Polícia Civil.

O Major da Polícia Militar, Israel Calixto Júnior, chefe da assessoria de articulação operacional, que também participou da reunião, afirmou que serão estudadas formas para resolver o problema. “Não consigo dar a melhor resposta agora, mas me parece que o ideal é um plano de policiamento especial”, disse.

Deputado Arantes lembrou ainda que o Governo do PT reduziu drasticamente os investimentos em segurança pública. “No ano passado, Pimentel investiu R$ 38 milhões a menos na polícia civil do que Anastasia investiu em 2014. E a Polícia Militar sofreu um corte no custeio em 2015 de R$ 98 milhões. O governo Pimentel precisa ter mais critério e respeito com o cidadão”, finalizou.

Verifique também

INTERNET 5G É DEBATIDA NA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA A PEDIDO DO DEPUTADO ARANTES

A pedido do deputado Antonio Carlos Arantes, a Comissão de Desenvolvimento Econômico da Assembleia Legislativa …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *